Sugestões - Inserção no mercado de trabalho

  1. Defina um objetivo - Pensar no que pretende fazer em termos profissionais e o caminho para lá chegar.
  2. Crie uma base de dados - É importante que, ao longo do curso, elabore uma base de dados com contactos e dados sobre as empresas onde poderá obter emprego. É importante que conheça bem a empresa onde pretende vir a trabalhar no futuro.
  3. Crie um endereço de e-mail adequado - Este será o ponto de contacto com as empresas/instituições, pelo que deverá ser simples, coerente e formal. Por exemplo nome e apelido.
  4. Utilize as plataformas digitais e redes profissionais existentes – Crie uma conta LinkedIn: www.linkedin.com
  5. Elabore um Curriculum Vitae - Deve ser simples e organizado, de fácil leitura e conciso. O modelo europeu é uma opção. Se tiver foto, deverá ser tipo passe. O impacto da imagem que irá transmitir deverá ser profissional. Lembre-se que a foto deve transmitir uma imagem cuidada e sóbria. Numa candidatura a emprego não envie os anexos mencionados no Curriculum Vitae. Deverá levá-los consigo para a entrevista. Se estiver num curso na área das artes faça também um portfólio com os trabalhos realizados.
  6. Escreva uma carta para acompanhar o seu Curriculum Vitae – É uma boa oportunidade para mostrar que conhece a empresa e porque deveria fazer parte dela. Em três ou quatro parágrafos sintetize alguns dados sobre si, expondo os motivos que o levaram a candidatar-se, acrescente referências e mostre-se disponível para um contacto.

Nota:
Carta de Apresentação (acompanha o CV)
Carta de Candidatura (carta de apresentação e CV resumido)
Carta de Candidatura Espontânea (acompanha o CV e demonstra disponibilidade)
Carta de Referência (anexo ao CV)?

  • Entrevista - Prepare-se para os vários tipos de entrevista
  1. Face a face
  2. Entrevista de Painel
  3. Entrevistas em Série
  4. Entrevistas em Grupo
  • Conheça a empresa/conheça quem o vai entrevistar, seja pontual, apresente-se de forma cuidada e formal, seja simpático.
  • O seu comportamento e atitude são o seu passaporte para o mercado de trabalho. A sua entrevista começa quando entra na empresa. Tudo é analisado e interpretado ao pormenor. Tente prever algumas questões: Porque é que se candidatou à função, motivação, remuneração pretendida. No final da entrevista avalie-se a si próprio, para melhorar os aspetos menos positivos.
  • Estude bem o seu potencial e competências e prepare os argumentos que mais o valorizam, tendo em conta a função e a empresa a que se candidata. Seja honesto consigo e com a empresa
  • Estágios - A realização de estágios, trabalho nas férias, trabalho temporário é uma das principais formas de entrada no mercado de trabalho. É onde se pode adquirir alguma experiência que será posteriormente valorizada.
  • Soft Skills - As empresas/instituições procuram pessoas flexíveis e criativas, que garantam disponibilidade de horários e de mobilidade geográfica. Os candidatos têm que se fazer valer de outras competências para conseguir trilhar um percurso no mundo do trabalho.

A participação em diversas atividades, permitem o desenvolvimento de competências transversais:

  1. Participação em programas europeus e internacionais (exemplo: ERASMUS+, Overseas, ISEP), pode igualmente ser fator diferenciador, bem como competências linguísticas e informáticas adquiridas;
  2. Participar em seminários, workshops, conferências, feiras de emprego, Summer School, aumentará;
  3. Outras atividades como, a leitura, o voluntariado, a participação em organizações de diversas áreas, a prática de desportos, entre outros, são caraterísticas que demonstram espírito de iniciativa e de equipa e dinamismo, que podem fazer a distinção entre milhares de candidatos (Lembre-se que deverá guardar num arquivo bem organizado, todos os certificados de participação);

A formação ao longo da vida é fundamental para a progressão na carreira e para a construção do futuro. Um Curso por si não é garantia única de que se possa obter emprego, nem o emprego deverá ser entendido para toda a vida.